Desenvolvimento Neuropsicomotor

Nesse artigo falamos sobre o Desenvolvimento Neuropsicomotor.  Entenda como tudo funciona de forma encadeada. Acompanhe nessa leitura

Desenvolvimento Neuropsicomotor

DESENVOLVIMENTO NEUROPSICOMOTOR

Os primeiros anos de vida são os mais diversificados em termos de desenvolvimento neuropsicomotor (neurológico, psicológico e motor). Isso porque o período que compreende as idades entre 0 e 3 anos apresentam a maior capacidade de plasticidade neuronal, evolução psicológica e aquisições motoras.

A plasticidade neuronal consiste em uma mudança nas estruturas e nas funções cerebrais que são adaptativas, ou seja, decorrentes de aprendizagens resultantes das experiências com o meio. Essas aprendizagens tem início com os reflexos neonatais.

Reflexos

Quando nascemos apresentamos vários reflexos, os quais são respostas automáticas (que não exigem pensar antes de agir), que favorecem a nossa sobrevivência visto que somos totalmente dependentes ao nascer. São vários os reflexos neonatais, como, por exemplo, o reflexo de sucção, que nos permite mamar e nos alimentar; o reflexo de Moro, que nos prepara para a marcha (o andar); o reflexo de preensão palmar, que permite pegar objetos que são encostados nas palmas das nossas mãos e nos prepara para a preensão dos objetos, como os talheres para nos alimentarmos, a caneta para escrevermos; entre outros.

Quando esses reflexos são executados, o nosso cérebro faz interpretações emocionais dessas experiências com o meio. Quando essas mesmas ações motoras não forem mais reflexas, mas forem realizadas conforme a vontade da criança, elas virão acompanhadas pelas interpretações emocionais dos momentos em que elas foram realizadas de forma reflexa, o que vai influenciar na sua execução: se a criança vai ou não querer executar essa ação motora; de que forma ela vai querer executar; a sensação de prazer ou de desprazer pode se refletir nesta execução. Por exemplo: ao realizar o reflexo de Moro, a criança pode ter pisado em um brinquedo com pontas, que pode não ter machucado o pé, mas, ter causado uma sensação desagradável. Quando for para dar alguns passinhos sem ser de forma reflexa, ela pode se mostrar com um pouco de medo para realizar esta atividade.

DESENVOLVIMENTO NEUROPSICOMOTOR 3

Falando melhor sobre isso, conforme vamos nos desenvolvendo, esses reflexos vão diminuindo e sendo substituídos por movimentos planejados, fazendo com que os movimentos que eram antes automáticos sejam executados conforme a necessidade da criança, ou seja, se antes o bebê encostava os lábios no bico do seio da mãe e abria a boca de forma automática para sugar o leite e se alimentar, ele passa a sentir fome e buscar o seio da mãe para então abrir a boca visando se alimentar, realizando esta atividade de forma intencional e determinada pela interpretação emocional prévia dessa experiência. O resultado disso tudo vai refletir no desenvolvimento motor da criança.

Em nosso desenvolvimento, existem alguns marcos, os quais são idades em que costumam se dar algumas aquisições motoras, porém essas idades servem de referência, mas cada criança tem seu tempo, podendo ser um pouco antes ou um pouco depois da idade esperada. Por exemplo, por volta dos 3 e 4 meses, o bebê sustenta a cabeça contra a gravidade quando deitado de bruços; por volta dos 4 e 5 meses ele rola para a lateral; com 6 meses senta com apoio; entre 6 e 8 meses se arrasta; entre 8 e 9, engatinha; e assim por diante. Precisa de atenção a criança que apresenta essas aquisições motoras muito tempo depois do esperado.

Instrumentos de Avaliação

Existem vários instrumentos de avaliação que podem auxiliar a identificar se a criança está se desenvolvendo conforme o esperado ou se precisa de ajuda profissional, como, por exemplo, a Escala de Denver que analisa os seguintes aspectos: pessoal-social (ex: come sozinho, sorri espontaneamente), motor fino-adaptativo (ex: segura um chocalho), linguagem (ex: grita, volta-se para o som), motor grosseiro (ex: puxa para levantar-se).

Para ilustrar:

desenvolvimento neuropsicomotor

Fonte: BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde da criança: acompanhamento do crescimento e desenvolvimento infantil / Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2002.

Desenvolvimento Neuropsicomotor

Fonte: BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde da criança: acompanhamento do crescimento e desenvolvimento infantil / Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2002.

Se observada qualquer alteração no desenvolvimento neuropsicomotor deve-se procurar um profissional de Terapia Ocupacional.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!